Cefaleias - Dores de Cabeça

Cefaleias - Dores de Cabeça

Por: Saúde Atual
 
Dr. Marcel Rozin Pierobon
Neurocirurgião Dr. Marcel Rozin Pierobon
Neurocirurgião

Cefaleia é o termo médico utilizado para dor de cabeça. É um dos sintomas mais comuns na medicina, é uma das queixas mais frequentes de consultas a clínicos, pediatras e neurologistas, e também um dos motivos mais comuns de falta ao trabalho. A cefaleia é um sintoma universal no ser humano. Estima-se que 90 a 100% das pessoas terão algum tipo de dor de cabeça ao longo da vida.

As cefaleias são divididas em primárias e secundárias.

As cefaleias primárias mais comuns são: enxaqueca, cefaleia do tipo tensional, cefaleia em salvas.

Outras formas menos comuns de cefaleia primária incluem a hemicrania contínua, a cefaleia nova diária e persistente, cefaleia do esforço, cefaleia da tosse, cefaleia por estímulo frio, hemicrania paroxística crônica.

Especialistas em cefaleia geralmente tratam também de dores faciais, como a neuralgia do trigêmeo, dor facial atípica, e dor miofascial.

Cefaleias secundárias são aquelas causadas por alguma outra doença, tal como tumores cerebrais, traumatismo craniano, meningites, acidente vascular cerebral (derrame), hidrocefalia, e aneurismas.

Estima-se que a prevalência da queixa de dor de cabeça, ao longo da vida seja de 93% nos homens e 99% nas mulheres e que, 76% do sexo feminino e 57% do masculino, tenham pelo menos um episódio de dor de cabeça por mês. Já se falarmos em enxaqueca (que é um tipo específico de dor de cabeça), a prevalência geral ao longo da vida é de aproximadamente 12% (18% entre as mulheres, 6% nos homens e 4% nas crianças). Mitos sobre cefaleias:

Não existe qualquer relação entre problemas do fígado e enxaqueca. Em geral, as pessoas que dizem ter problemas de fígado e que se sentem mal, têm dor de cabeça e vomitam após ingerir certos alimentos, costumam ser enxaquecosos cuja dor é desencadeada por esses produtos da dieta. Da mesma forma, operar a vesícula não proporciona melhora da enxaqueca

A dor de cabeça ocorre nos pacientes com sinusite somente se esta for aguda. As sinusites crônicas não provocam cefaleia, ao contrário do que se difunde na crença popular.

A associação de dor de cabeça com hipertensão arterial é uma coincidência. Geralmente, a cefaleia (dor de cabeça) que ocorre nos hipertensos é devida a um efeito colateral da própria medicação usada para combatê-la ou quando esta hipertensão é aguda (pico hipertensivo) ou severa. Portanto, na maioria das vezes, pressão alta e dor de cabeça é mera coincidência.

Muitos pacientes com dor de cabeça, acreditam que estas resultam de comprometimentos oculares, ou erros de refração. Na realidade, os olhos raramente são causa das formas mais comuns de cefaleia. Simplificando, miopia, hipermetropia, presbiopia etc., não são causas de dor de cabeça.

Algumas mulheres apresentam diminuição ou mesmo cessação completa das crises de enxaqueca com a menopausa. Isso, no entanto, infelizmente não é verdade para a maioria das mulheres. Apenas cerca de 30% apresentam melhora significativa com a menopausa, principalmente aquelas que apresentam enxaqueca com predomínio no período menstrual.

De todos, esse é o mito mais prejudicial. A enxaqueca tem tratamento e inúmeras pessoas se beneficiam dele, obtendo redução da frequência e da intensidade das dores, bem como apresentando boa resposta aos medicamentos para as crises. O índice de satisfação com o tratamento é alto.

Dr. Marcel Rozin Pierobon
Neurocirurgião

Envie seu Comentário